11 3284-2111
Direito Civil Publicado em 10 de junho de 2020

O ABANDONO DO IMÓVEL LOCADO PELO LOCATÁRIO

O ABANDONO DO IMÓVEL LOCADO PELO LOCATÁRIO
O ABANDONO DO IMÓVEL LOCADO PELO LOCATÁRIO

 

Eis aí uma situação não tão incomum: o abandono do imóvel locado pelo locatário.

Diante desse tipo de situação, qual é, então, a medida a ser adotada?

E a resposta para esse tipo de indagação está na própria lei que regula essa matéria, ou seja, a Lei nº 8.245/91, comumente conhecida como Lei de Locações de Imóveis Urbanos.

Consoante dispõe o artigo 66 dessa mencionada lei:

“Art. 66. Quando o imóvel for abandonado após ajuizada a ação, o locador poderá imitir-se na posse do imóvel.”

Assim, se o locatário demandado abandonar o imóvel locado no curso da ação de despejo, caberá ao locador, antes mesmo dela ter sido julgada, pleitear ao magistrado a respectiva imissão na posse.

Constatado o abandono, seja por meio do silêncio do locatário — ao ser instado a esse respeito pelo magistrado —, seja por meio de um auto de constatação, será expedida a correspondente ordem judicial de imissão na posse.

Nesse caso, o processo será julgado extinto, já que o abandono implica no reconhecimento da procedência do pedido de retomada formulado judicialmente pelo locador.

E se o abando ocorrer antes da propositura da ação de despejo?

Nesse caso, não há que se falar em despejo, já que o imóvel locado já está desocupado. Caberá ao locador, diante dessa situação, promover judicialmente a respectiva imissão na posse do imóvel abandonado.

É importante ressaltar que a imissão, qualquer que seja a hipótese, sempre deverá ocorrer por meio de uma ordem judicial, vez que o locador, caso resolva proceder a retomada por conta própria, correrá o risco de se sujeitar ao pagamento de eventual indenização por conta de bens e objetos do locatário que porventura ainda estejam no imóvel.

Enfim, em casos dessa natureza, faz-se necessário o devido assessoramento jurídico, para que todos os interesses e todos os direitos envolvidos sejam adequadamente resguardados.

José Ricardo Armentano  / advogado na MORAD ADVOCACIA EMPRESARIAL

 

Morad Advocacia Empresarial

Rua Maestro Cardim, 407, 11ª andar

Paraíso – São Paulo – SP CEP: 01323-000

Tels. 55 11 – 3284-2111

site: www.morad.com.br

Morad Advocacia Empresarial atua em consonância com a legislação brasileira e internacional, repudiando ocorrências e atos de corrupção e de qualquer outra forma de proveito ilegal, não mantendo em hipótese alguma ligações espúrias com  funcionalismo de qualquer setor da Administração Pública.

Morad Business Law operates in accordance with Brazilian and international law. We reject the occurrence of corruption acts and any other form of illegal advantage, keeping no connection with servants in any sector of Public Aministration.

Entre em contato conosco teremos muito prazer em atendê-lo.

 Acesse Nossa Página no Facebook 

Gostou dessa postagem? Acesse a postagem anterior sobre

 “A PRÁTICA DE ATOS NOTARIAIS POR MEIO ELETRÔNICO”